Consumidor.gov

Diretoras de Procons disputam nas redes compartilhamento de plataforma

14 de Abril de 2018 | Publicado por: cbncascavel

Ouça Agora

A diretora do Procon-PR, Claudia Silvano, estava indo para o trabalho de manhã pensando numa maneira de fazer um número maior de consumidores conhecer o Consumidor.gov.br, plataforma de solução de conflitos do Ministério da Justiça. Ativa nas redes sociais, não teve dúvida: gravou um vídeo desafiando a diretora do Procon Porto Alegre, Sophia Vial. A aposta consiste em conseguir o maior número de compartilhamento da plataforma na rede. Quem perder vai ter que usar o figurino da ganhadora. Detalhe, Claudia só trabalha de pijama.E tudo indica que Sophia vai ter que trabalhar com a roupa de dormir. Enquanto a gaúcha obteve 1.800 visualizações e 143 compartilhamentos, Claudia já contabiliza quase 2.400 compartilhamentos diretos da sua página. Órgãos públicos e jornais locais também compartilharam o post diretamente da página da diretora do Procon Paraná, o que deve aumentar signativamente o compartilhamento da mensagem. CONFIRA O QUE CLAUDIA DIZ EM SEU VÍDEO.

O grande objetivo da brincadeira é fazer chegar a um número cada vez maior de consumidores uma ferramenta bacana, que pode garantir a solução rápida dos seus problemas — conta Claudia, que admite que só avisou a amiga da brincadeira depois de ter gravado o vídeo. Segundo Sophia, ela e a diretora do Procon-PR têm tentado, cada vez mais, encontrar uma forma de popularizar a ferramenta de solução de conflitos, e decidiram se desafiar para o bem: A Claudia não costuma usar as roupinhas quadradinhas que eu uso, e eu também não uso as roupas superdescoladas dela. Se eu perder, tenho que usar o “pijama”, e ela precisará usar um “tailleurzinho”. Sophia também pediu socorro nas redes sociais.

 

Para participar, explica a gaúcha, basta que a pessoa compartilhe o vídeo com o link do Consumidor.gov.br, destacando que não há perdedor, só ganhador. Na segunda-feira, saberemos quantos mil likes a mais a Claudia teve. A ferramenta é pública, e o consumidor pode reclamar de pijama em sua própria casa — ressalta Sophia.

Informações: O Globo

Mande seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

feito com
icone criação de sites